Resultado de imagem para roman reigns interview
Roman Reigns foi entrevistado pelo jornalista do Sporting News, Brian Fritz. O "Big Dog" expressou sua opinião com respeito à ausência do Universal Championship na programação semanal do RAW, já que o título hoje em dia está nas mãos de Brock Lesnar.

Está nos matando. Serve para melhorar as histórias e melhorar o programa. Seria um espetáculo melhor. Quando você tem o diamante que todos estão atrás, dê a eles um GPS que indique onde eles estão e quem eles querem se tornar. Não só isso, é um impulso em live events, às sextas-feiras, sábados e domingos, quando não temos especiais no WWE Network ou PPV's. É importante ter o título pendurado no vestiário de uma pequena cidade em Dakota do Sul numa sexta-feira, quando as pessoas não estão motivadas. Um jovem talento chega e diz que o campeão está aqui e o título também. Isso é o que eu quero. Motivar as pessoas de muitas maneiras diferentes e é disso que precisamos. Estou num ponto em que ganhei vários títulos diferentes. A única razão pela qual eu quero o Universal Championship é porque eu não ganhei e quero ele em nosso roster, eu quero em nossos shows e em cada cidade, porque isso nos fará todos melhores.

Por outro lado, Roman falou sobre sua longa rivalidade com Brock Lesnar.

Eu acho isso incrível. Nós temos muitos críticos. Há muitas opiniões graças às redes sociais e a possibilidade de que todos tenham de se conectar. As pessoas podem dizer o que quiserem, mas eu pessoalmente penso nisso daqui a 20 anos. Se você pensar sobre isso, a partir dos 3 anos de rivalidade, no primeiro tivemos a WrestleMania 31 e foi incrível. Lá tivemos dois titãs lutando com todas as suas forças. 

Diga o que quiser, no final do dia, quando você olha para essas lutas físicas e lembrar do que eles eram, você pode dizer o que quiser, até dos suplex de Brock. Estamos falando de um gigante extremamente forte que pode jogar as pessoas de um lado para o outro. Eu acho que foi uma história muito boa e um bom combate físico.

[...] Depois veio a terceira luta corpo-a-corpo, foi na Arábia Saudita e eu o joguei da jaula com um spear. Eu acho que foi uma luta muito boa. Pessoalmente, penso, além de suas idas e vindas com o UFC, que não há ninguém como ele. Literalmente temos outra pessoa parecida no topo, Ronda Rousey, e você não a ouve sugerir a ideia de retornar ao octógono, mas Brock Lesnar estaria pronto amanhã se lhe permitissem. Eu acho que ele é um atleta que aparece uma vez na vida, ter essa rivalidade de três anos é uma marca enorme na minha carreira e foi minha rampa de lançamento em 2015.